Sala de Aula

Portal de Educação - Notícias, Links, Formação, Literatura, Periódicos

sexta-feira, junho 30, 2006

"Santos da porta"... - Artigo de José Pacheco

Começa assim: A racionalidade burocrática predomina nas nossas escolas, ao serviço de subtis modos de subalternizar a pedagogia. Foi (re) aberto o debate nacional sobre Educação. A intervenção de António Nóvoa, na sessão realizada na Assembleia da República, foi um retomar de tópicos de reflexão (infelizmente) sempre actuais. E acaba deste modo: Porque falo dessa escola? Porque os professores que ousam iniciar projectos devem ter consciência de que irão defrontar invejas e mediocridade. Solidarizo-me com os que desistem e os que resistem. Por eles e por muitos outros, vale a pena continuar. Se este país não tivesse os excelentes profissionais que tem, também eu já teria desistido. Pelo meio ficam ideias importantes, omissões convenientes, mas sobretudo muita propaganda pró-Ponte. Ainda assim, a ler. (in Educare)

Concurso para EPE, PALOP e Timor Leste

Também aqui a aplicação (Formulário electrónico de candidatura - EPE , PALOP e Timor Leste) ficará disponível até dia 3 de Julho às 24 horas. (in DGRHE)

Concurso nacional 2006 - Alargamento do prazo de candidatura

Manifestação de preferências para afectação, destacamentos e contratação:
PRAZO FOI ALARGADO ATÉ às 24H00 de 3 de JULHO (in SPZN)

quinta-feira, junho 29, 2006

Construindo Blocos - Estratégias para incluir crianças com necessidades especiais em idade pré-escolar

À falta de novidades, recupera-se um título:

Este livro é produto do trabalho de investigação desenvolvido pelo Early Childhood Research Institute on Inclusion (ECRII), nos EUA. Trata-se de um projecto que envolveu um conjunto de investigadores de renome e profissionais de educação de infância que, durante cinco anos, se preocuparam com a recolha, análise e interpretação de informação que pais, educadores e crianças partilharam com eles em programas inclusivos.
É um guia prático, fácil de utilizar e inovador, destinado, essencialmente, a educadores de infância que trabalham em ambientes inclusivos.
Oferece soluções práticas, independentemente do curriculum adoptado, aos desafios colocados diariamente sempre que incluímos crianças com necessidades especiais. Essas soluções encontram-se agrupadas em três áreas fundamentais:
Adaptações curriculares, que aumentam os períodos de envolvimento activo da criança;
Oportunidades de aprendizagem embutidas nas rotinas da sala;
Estratégias de ensino centradas na criança, que a ajudam a atingir objectivos individualizados de aprendizagem. (in Porto Editora)

Destinado, essencialmente, a educadores de infância que trabalham em ambientes inclusivos - Porque é que esta expressão me choca tanto?


quarta-feira, junho 28, 2006

Seminário - Ser Competente em TIC

Seminário - Ser Competente em TIC

3 Julho 2006 (14:00 - 18:00h)

Programa Participação livre com Pré-inscrição

in (FCUL)

I Encontro sobre e-Portefólios

Objectivos

divulgar a iniciativa europeia “Objective 2010: e-Portfolio for All” (EifEL);
problematizar os conceitos associados ao uso de portefólios (em educação);
reunir os investigadores que trabalham na área do e-portefólio, em Portugal, para esboçar o estado da arte no país;
divulgar boas práticas ( ensino superior, pré-escolar, básico, secundário, profissional, Centros RVC);
perspectivar o desenvolvimento e o futuro do e-portefólio.
Eixos temáticos

e-portefólio em educação (em todos os ciclos do ensino básico, incluindo o pré-escolar, no ensino secundário, no ensino superior, no ensino profissional);
e-portefólio na formação;
e-portefólio no RVC;
e-portefólio profissional e/ou de desenvovimento pessoal;
portefólio em formato tradicional (em suporte papel e em qualquer dos níveis ou modalidades de ensino).

As comunicações a apresentar deverão ser propostas sob a forma de resumo alargado (ver secção
Artigos ) e enquadrar-se num dos 5 eixos temáticos.
As comunicações poderão apresentar quer estudos formais, quer descrição de práticas no terreno, quer discussões conceptuais fundamentadas e devidamente referenciadas.
Os artigos aceites pela Comissão Científica serão publicados nas Actas do Encontro (em CdRom com ISBN) no final de 2006.
Os professores podem solicitar dispensa de serviço docente ao Conselho Executivo, ao abrigo do Despacho nº185/92. (in Aprendizagem formal e informal)

Seminário - A Matemática no 1º Ciclo

No dia 12 de Julho de 2006 realizar-se-á, na Escola Superior de Educação da Universidade do Algarve, o seminário A Matemática no 1º Ciclo. Este seminário vai decorrer no âmbito do Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico. (in ESE Algarve)


Programa e Ficha de Inscrição.

Calendário Escolar 2006/2007

Enquanto o pessoal anda entretido a complicar o que resta deste ano, dá-se já uma vista de olhos ao próximo.
(in SPZN)

terça-feira, junho 27, 2006

Encontro de Reflexão QISA2006 - Quadros Interactivos na Sala de Aula

Encontro de Reflexão QISA2006 Quadros Interactivos na Sala de Aula, a realizar no próximo dia 14 de Julho 2006, no edifício do CIFOP, na Universidade de Aveiro.
Objectivos:
Conhecer as potencialidades dos quadros interactivos;
Reflectir sobre experiências e práticas pedagógicas;
Divulgar boas práticas.
Mais informações em: http://interactsite.blogspot.com

segunda-feira, junho 26, 2006

Concurso Nacional 2006 - Aplicação para manifestação de preferências

Já disponível a Aplicação para manifestação de preferências e as Listas dos códigos para manifestação de preferências (DREN; DREL; DREC; DREALT;DREALG).
(in DGRHE)

domingo, junho 25, 2006

Seminário e Oficinas - "As TIC e a Construção de uma Comunidade de Aprendizagem no 1.º Ciclo"

A equipa coordenadora do Projecto CBTIC@EB1, em Leiria, vai organizar no dia 4 de Julho de 2006, um Seminário subordinado ao tema “As Tecnologias de Informação e Comunicação e a Construção de uma Comunidade de Aprendizagem no 1.º Ciclo”. Ao longo do ano lectivo, as TIC estiveram presentes nas comunidades de aprendizagem constituídas por cada turma, por cada escola, por cada agrupamento. Por meio das TIC, as fronteiras destas comunidades alargaram-se e constituíram-se comunidades assentes na interacção e colaboração entre turmas, entre escolas, entre agrupamentos. Queremos agora, por meio deste seminário, aliar à experiência vivida por cada um a reflexão partilhada, a fim de encontrar novos rumos que potenciem o papel das TIC na construção de uma comunidade de ensino e aprendizagem, para a qual todos podemos contribuir. (in ESE Leiria)

sábado, junho 24, 2006

Doze olhares sobre Educação Inclusiva

Lançamento do livro no dia 29 de Junho na FPCE-Universidade do Porto, durante as Jornadas Sobre Políticas Educativas e Sociais: Projectos e Debates em Curso, integradas nas iniciativas do "Fórum de Estudos de Educação Inclusiva" , uma iniciativa do núcleo do CIIE " Estudos de Politicas Educativas e Sociais.

Inscrições para as Jornadas, a enviar por email para ciie@fpce.up.pt, enviando os mesmos dados que constam da ficha de inscrição.

(in FPCE-UP)

Manual da aplicação para manifestação de preferências - CONCURSO DE EDUCADORES DE INFÂNCIA E DE PROFESSORES DOS ENS. BÁSICO E SECUNDÁRIO - 2006

MANIFESTAÇÃO DE PREFERÊNCIAS
Destacamento para a Educação Especial
Destacamento por Condições Específicas
Destacamento para Aproximação à

Residência Familiar
Afectação
Contratação/Contratação cíclica

Candidaturas de 26 a 30 de Junho.

(in DGRHE)

Ensino Portugês no Estrangeiro (EPE)

Aplicações - Disponíveis dia 26 de Junho de 2006.

Documentação de suporte ao concurso - 24/06/2006
Manual da Candidatura
Aviso do EPE
Regulamento do concurso para o EPE
D.L. nº 27/2006, de 10/02

Anexos - 24/06/2006
Anexo I
- Andorra
Anexo II
- Bélgica
Anexo III
- Espanha
Anexo IV
- França
Anexo V
- Luxemburgo
Anexo VI
- Namíbia
Anexo VII
- Países Baixos
Anexo VIII
- Reino Unido
Anexo IX
- República Federal da Alemanha
Anexo X
- Suíça

(in DGRHE)

Ensino Português - PALOP e Timor Leste

Aplicações - Disponíveis dia 26 de Junho de 2006.

Documentação de suporte ao concurso - 24/06/2006
Manual da Candidatura
Anúncio para selecção de licenciados para Timor Leste
Anuncio para selecção de licenciados para PALOP
D.L. nº 27/2006, de 10/02

(in DGRHE)

sexta-feira, junho 23, 2006

Pós Graduação/ Curso de Formação Especializada em Ensino de Línguas Estrangeiras no 1.º Ciclo - Variantes de Inglês e Francês











quinta-feira, junho 22, 2006

Concursos: Ensino Português no Estrangeiro

Aviso de abertura será publicado na próxima sexta-feira, dia 23/06/06, iniciando-se o período de candidatura na segunda feira, dia 26/06/06. (in ASPL)
Diploma que estabelece as normas técnicas relativas ao Concurso.
Diploma que estabelece o Regime Jurídico do ensino português no estrangeiro.

7º Congresso Nacional de Educação Física – 2006

Vai realizar-se nos dias 23, 24 e 25 do próximo mês de Novembro, no Fórum da Maia, no Porto, o VII Congresso Nacional de Educação Física. (in Educação Física)
Parece-me que o mais significativo será isto:
Um dos objectivos gerais, traçados, é o de Estabelecer as bases de um código de ética profissional comum às dimensões da Educação Física e orientar o seu desenvolvimento.
Porque levanta questões que, a concretizarem-se e alargando o seu âmbito a muito mais que a Ed. Física, seriam bem mais eficazes e valiosas que todos esses tiros de pólvora seca que se ouvem por aí:
Será que a elaboração de um código ético, definindo, como expressão escrita, a deontologia profissional e a sujeição de uma classe a esse código, torna pública a garantia da sua honestidade, assegura o prestígio da sua profissão, contituindo a expressão de uma autonomia profissional, e é inseparável de uma conquista social e profissional de dignidade e respeitabilidade?
Será que a elaboração dum código, deste tipo, não deveria abranger e solicitar a participação do maior número de profissionais possível, já que a construção de um quadro de referências profissionais e deontológicas, com o objectivo de estabelecer parâmetros para a definição de um estatuto profissional, só terá razão de ser e só será viável, na medida em que for o resultado, da reflexão e do pensamento de uma classe e, na medida em que os seus profissionais o sentirem como uma imanação e uma necessidade suas?(Maria Lisboa, in Educação Física e Desporto - Diferentes Olhares?)

terça-feira, junho 20, 2006

"A escola faz-se com pessoas"




Apresentação do livro de Pascal Paulus, "A escola faz-se com pessoas", no dia 28 de Junho, na Faculdade de Psicologia e Ciências de Educação de Lisboa, pelas 18 horas.

Novidades...


Uma análise da Escola Pública e da Escola Privada: das suas filosofias e lógicas de organização e funcionamento; dos interesses que as regulam e dos desafios que se colocam à construção de uma sociedade livre e justa.Não sendo neutro nesta disputa ideológica, o autor mostra as virtudes de uma escola aberta a todos os cidadãos que considera elemento chave para a coesão social. Como afirma o autor:"Não é, pois, a uma guerra aberta que assistimos: antes sim a uma guerra-fria. Uma guerra de redes. Cada qual tenta obter informações relativamente àquilo que se passa no campo em frente: terá o estabelecimento de ensino privado do outro lado da rua melhores resultados nos exames nacionais do ensino secundário? Como é que se consegue passar para o 11º ano naquela pretigiada escola secundária do centro da cidade quando se habita nos subúrbios? Cada um tem os seus informadores, os seus espiões; cada um tenta infiltrar-se e, uma vez lá dentro, fazer entrar os seus aliados." (in ASA)

Com uma sábia mistura de teoria e prática, esta obra analisa as “crenças” que transparecem na resolução de problemas de matemática e defende a sua importância educativa na prossecução de um objectivo: aprender a pensar; porque embora pensar não seja património exclusivo de nenhuma ciência, a matemática é matéria ideal para nos exercitarmos nesta arte e procurarmos aperfeiçoá-la.O método baseado na resolução de problemas estimula o aluno a abordar novas situações, a responder a questões das quais se não conhece uma resposta mecânica, a elaborar estratégias de pensamento, a questionar-se a si próprio e a aplicar os seus conhecimentos e competências a diferentes situações.Para o conseguir, é necessário que na aula se crie um clima estimulante que necessita de determinadas atitudes e crenças.Os capítulos deste livro vêm dar resposta a perguntas como as seguintes:- Pensar na aula de matemática?- O que é realmente saber resolver problemas?- O que são crenças?- Quais as mais comuns entre os alunos?- Como diagnosticar e avaliar os sistemas de crenças dos alunos? Como modificá-las? (in ASA)
E ainda, para quem escapou à fúria do Ministério:
Esperada ou temida, a hora da reforma coincide com um período de grandes mudanças. Ainda que a tenha preparado com cuidado, aquela não é, com certeza, idêntica à sonhada por si anteriormente. Os seus desejos não são os mesmos, agora que se abeirou deles, ou quase.Então, encontre tempo para uma reforma feliz! Descubra as cinco etapas que conduzem até lá, lendo este livro, ilustrado com testemunhos e enriquecido com exercícios. Nele encontrará os elementos que lhe serão úteis para alicerçar as boas referências, escutar o seu ritmo pessoal, compreender como quer de facto viver este novo período forte da sua existência e organizá-lo no quotidiano, isto é, transformando a sua reforma num tempo rico de realização e bem-estar, quer viva só, em casal ou em família.Um livro para o grande público que não deixa de ir encontro das necessidades pessoais. (in ASA)

segunda-feira, junho 19, 2006

Recuperando títulos...

Os Portfolios Reflexivos (também) trazem Gente Dentro. Reflexões em Torno do seu uso na Humanização dos Processos Educativos, de Idália Sá-Chaves.










Aprendizagem Auto-Regulada pelo Estudante. Perspectivas psicológicas e educacionais, de Adelina Lopes da Silva, Isabel Sá Pereira, António Manuel Duarte

domingo, junho 18, 2006

Debate sobre Qualidade e Equidade na Educação

Apenas para lembrar...
Setúbal, 22 de Junho
Debate sobre Qualidade e Equidade na Educação
«Que saberes, que competências serão necessárias para o cidadão do século XXI? Como pode a escola promover esses saberes e essas competências com qualidade e equidade?»
Local: Claustros do Instituto Politécnico de Setúbal
21h00-Apresentação do debate
Maria Emília Brederode Santos-Conselho Nacional de Educação
21h15-Painel
Manuel Carvalho da Silva-Secretário-geral da CGTP-IN
Maria Belo-Psicanalista
Lisete Barbosa-Professora do 1º ciclo do Ensino Básico
Octávio Costa-Director da Auto-Europa, Presidente da FIAPAL
Viriato Soromenho Marques-Professor Universitário
Moderadora-Conceição Dinis-Conselho Nacional de Educação
Relatora-Margarida Graça
Ver também:
Évora, 20 Junho
Debate sobre Escolas, Professores e Outros Profissionais
«Que organização escolar poderá melhorar o processo educativo?»
Local: Auditório do Colégio do Espírito Santo da Universidade de Évora
Viana do Castelo, 21 de Junho
Debate sobre Aprendizagem ao Longo da Vida e Desafios do Emprego
«Como melhorar a Educação nos próximos anos?»
Local: Forte de Santiago da Barra
Bragança, 22 de Junho
Debate sobre Educação e Cidadania
«Educação e formação para a cidadania: Como se repartem as responsabilidades entre a sociedade e a escola?»
Local: Teatro Municipal de Bragança

sexta-feira, junho 16, 2006

"Ou se faz alguma coisa já ou daqui a dez anos será tarde de mais"

À falta de melhor, lê-se o que existe....

quarta-feira, junho 14, 2006

Escola portuguesa e democracia: Alguns dados para o debate

Artigo de Rui Trindade na Página da Educação.

Profissionalismo docente: Conquistas parcelares e transições perturbantes

Artigo de Almerindo Janela Afonso na Página da Educação.

terça-feira, junho 13, 2006

Trabalhos de casa

"Alunos ficam stressados com os trabalhos de casa"
Os trabalhos de casa (TPC) são uma das principais fontes de stress para os alunos do ensino básico. Segundo um estudo que envolveu 300 crianças, de diferentes zonas do País e dos sistemas público e privado, a dificuldade em realizar as tarefas definidas pelos professores causa grande preocupação em 80% dos alunos.
Isso já nós sabíamos. O que é novo é que se comece a orientar a questão neste sentido:
(...) Empurrá-los para os centros de ATL (tempos livres) é, para Augusto Caetano (professor), um erro. "É mais do mesmo, é fazer com que as crianças saiam de um edifício para irem para outro fazer a mesma coisa", defende. Estas actividades de tempos livres devem ser "compensatórias e complementares", e não mais uma obrigação. Nestas idades, "eles precisam de liberdade, precisam da natureza, precisam de ser livres", diz. Para Augusto Caetano. (in DN)
Numa altura em que os jornais carregam publicidade a ginásios de matemática e a outros centros de "estudo", é tão bom ver que, finalmente, alguém orientou a questão para o papel do A.T.L. e logo colocando-a num meio de comunicação aberto a um público mais vasto que não só o da Educação. Podíamos ir mais longe, mas este é já um bom começo (sereno e sério, sem o folclore de Ministério e Sindicatos a atordoar o pessoal).

segunda-feira, junho 12, 2006

Cidadania, Género e Educação: (in)visibilidades e (des)igualdades

No dia 22 de Junho de 2006, pelas 15.00 horas, a Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular promove a Sessão Cidadania, Género e Educação: (in)visibilidades e (des)igualdades. (in DGIDC)

domingo, junho 11, 2006

Mestrados em Ciências da Educação

Administração Educacional
Educação e Leitura
Formação de Professores
Psicologia da Educação - Aprendizagem e Desenvolvimento no Adulto e no Idoso
(in FCPEUL)

PÓS-GRADUAÇÃO 2006/2007

Objectivos:
O Curso Pós-Graduado de Especialização em Ciências da Educação que aqui apresentamos, denominado “Organização e avaliação da formação: tecnologias educativas”, é um curso que, em termos académicos, se situa num plano intermédio entre um curso de licenciatura e um curso de mestrado e, em termos sociais, se destina preferencialmente a um público de formadores e gestores da formação interessados em saber usar de modo efectivo as novas tecnologias da informação e comunicação nas suas práticas e de fundamentar o seu uso. Particular atenção será dada à concepção e avaliação de conteúdos, materiais e recursos tecnológicos que possam ser usados na formação presencial e na formação on-line. Conceber e avaliar materiais e recursos tecnológicos, como sites e software disponível no mercado, é uma competência que é necessário desenvolver nas pessoas que desejam usar as novas tecnologias de forma efectiva e crítica nas suas práticas de formação. Igualmente se torna importante, na actualidade, aprender ou aprofundar a conceber, desenvolver e avaliar cursos de formação on-line. Não se trata de simplesmente transpor os cursos presenciais para um novo meio de difusão, neste caso a Internet, mas de repensar os conceitos de aprendizagem e formação e mais particularmente entender em que consiste a aprendizagem multimédia, sobretudo quando feita a distância. Que ingredientes deve ter um curso de formação on-line e como os organizar e sequenciar de modo a que os formandos aprendam de modo efectivo? Esta será uma das questões a que este DUECE tentará dar resposta.Tem a duração de um ano, com três disciplinas no 1º semestre e três no segundo, umas com um pendor mais teórico e outras prático. Cada formando terá que desenvolver, ao longo do curso, um projecto de formação que integre as novas tecnologias. Estes projectos serão acompanhados por um orientador e por actividades de seminário. (in FPCEUL)

sexta-feira, junho 09, 2006

3 Sugestões...


Se é verdade que, nos últimos anos, muito se tem falado sobre o crescente desinteresse dos pais pelas actividades escolares, certo é também que são cada vez mais os pais de alunos, organizados ou não em associações, que se consideram autorizados a dar lições aos professores quanto à instrução que dispensam aos seus filhos.Como é que se chegou aqui, que fazer para apaziguar esta nova guerra escolar que é já comum a tantos países europeus?Fruto de numerosas entrevistas com directores de escolas, responsáveis pela orientação pedagógica, professores do ensino básico e secundário, “Pais Contra Professores” dá testemunho de um corpo docente maltratado e desacreditado e relata factos absurdos como alguns pais permitirem-se julgar o conteúdo das aulas, o fundamento de uma sanção disciplinar ou fazer valer o seu pretenso direito de decidir.Dedicado «àqueles que querem salvar a escola», este livro constitui uma alegação a favor da sobrevivência da nobre missão do professor e da inteligência activa dos pais no meio escolar. (in Campo das Letras)

Em Janeiro de 1999, um grande quotidiano francês publicava "diário de bordo de um profe da periferia", que causou grande alarido. A realidade descrita nesse documento era de tal modo siderante que a própria veracidade dos factos foi posta em causa. O seu autor preferiu manter o anonimato. Algumas semanas mais tarde, o mesmo viria a ser vítima de uma agressão grave.Hoje, Nicolas Revol optou por quebrar a lei do silêncio e relatar a sua experiência numa escola profissional dos arredores de Paris."Os professores não gostam muito de se abrir sobre as suas experiências. Pessoalmente, decidi dar o meu testemunho. Porquê? Porque me parece que não podemos continuar a agir como se nada se passasse. Porque gosto do meu ofício de professor e dos meus alunos; e ainda porque o primeiro passo a dar para resolver os problemas é falar deles livremente, sem dissimulações. Porque, se nada fizermos, um destes dias a realidade vai acabar por nos explodir nas mãos." (in Campo das Letras)

Neste livro dá-se conta de uma investigação que teve como finalidade interrogar a contribuição do ambiente da aula para o desenvolvimento sociomoral e cívico dos estudantes. Tomou-se como indicador da qualidade desenvolvimental da aula o modo como nela decorrem os processos de conflito interpessoal, concedendo-se especial atenção aos procedimentos de regulação. Assumiu-se o papel mediador das representações dos indivíduos e dos grupos na interacção entre estes e os contextos em que vivem. Por isso, o caminho seguido consistiu no levantamento e análise da representação dos estudantes adolescentes sobre os processos de conflito na aula. Acrescente-se que o modelo kohlberguiano da ‘escola como comunidade justa’ constituiu uma referência central na concepção e operacionalização da pesquisa. (in Campo das Letras)

quinta-feira, junho 08, 2006

Concurso de colocação de Professores no estrangeiro

Foi indicada em Assembleia da República pelo secretário de Estado Adjunto e da Educação, Jorge Pedreira, a data de início do concurso para a colocação de professores no estrangeiro. Até dia 23 de Junho as candidaturas terão, pois, de entrar em funcionamento, segundo a informação do jornal Público on-line. Jorge Pedreira adiantou ainda as alterações introduzidas nesta área, entre as quais estão o fim do destacamento de professores, que passarão a ser contratados, e a transferência da tutela do ensino do Português no estrangeiro para o Ministério dos Negócios Estrangeiros, ficando a vertente pedagógica a cargo do Ministério da Educação.De acordo com o secretário de Estado Adjunto e da Educação "o ensino do Português não pode continuar a ser apenas um ensino para as comunidades. É fundamental apostar na certificação do Português no estrangeiro, o que lhe permitirá dirigir-se não apenas a luso-descendentes, mas a todos os estrangeiros que queiram aprender Português", referiu. Assim, “o Governo entendeu que a regra da contratação deve ser o regime normal e é isso que vai acontecer já este ano", concluiu. (in Texto Editora)

XXVIII Congresso MEM - 2006

Está certo, ainda falta muito tempo, mas, para evitar desculpas inúteis, aqui fica a informação:
No âmbito das comemorações do 40º Aniversário do Movimento da Escola Moderna, o XXVIII Congresso vai realizar-se este ano, de 19 a 22 de Julho, em Lisboa.

Local:
Instituto Superior de Psicologia Aplicada - ISPA

Data: 19 a 22 de Julho de 2006

Programa:
Ficha de Inscrição:
Imprimir e enviar
esta Ficha até ao dia 1 de Julho para:
Movimento da Escola ModernaR. do Açúcar, Nº 22 - B
1950 - 008 Lisboa
(in MEM)

33ª CONTRATAÇÃO CÍCLICA


Disponíveis as listas da última contratação cíclica, já só para Educadores de Infância.

quarta-feira, junho 07, 2006

Seminário Matemática - Formação Contínua Prof. 1º Ciclo

O presente Seminário, aberto a todos os professores do 1º ciclo do Ensino Básico, enquadra-se no âmbito do Programa de Formação Contínua em Matemática.

Tem como intenções:

- Balanço/Divulgação do Programa de Formação Contínua em Matemática, no Distrito de Beja e a nível Nacional;
- Divulgação/Partilha de experiências relacionadas com o ensino/aprendizagem da Matemática;
- Promoção de actividades desenvolvidas (Workshops) no âmbito do programa de Matemática do 1º ciclo do Ensino Básico;
- Mostra de materiais construídos.

Destinatários:
Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico (in ESE Beja)

terça-feira, junho 06, 2006

PROFMAT - 22º Encontro Nacional de Professores de Matemática - ESE Setúbal

Atenção às inscrições:

1º prazo de inscrição (sem multa): até 9 de Junho

Mais informações

Mestrado em Educação e Formação de Adultos

Agora que sabem que não ficaram colocados e têm imenso tempo livre, aproveitem...
A Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve e a Escola Superior de Educação de Beja fazem saber que se aceitam candidaturas ao Mestrado em Ciências da Educação, Área de Especialização em Educação e Formação de Adultos, nas condições a seguir especificadas:
1. Prazos de candidatura: Durante o mês de Julho;
2. Prazos de matricula e inscrição dos alunos efectivos: de 25 a 29 de Setembro;
3. Taxa de candidatura: 50.00 €uros (paga no acto da candidatura);
4. Propina de Matricula (Obrigatória Universal): 100.00 €uros;
5. Propina de inscrição única: 2 500.00 €uros;
6. Forma de Pagamento: 1250.00 €uros no acto da inscrição, 1250.00 €uros até 9
de Janeiro de 2007;
7. Vagas: 25
8. Número mínimo de alunos para funcionamento da edição do curso: 15;
9. Local de Funcionamento: Escola Superior de Educação de Beja, do Instituto Politécnico de Beja, ao abrigo do protocolo entre as duas instituições;
10. Inicio das Aulas: Outubro de 2006
Os interessados deverão formalizar a sua candidatura através de requerimento dirigido ao Presidente do Conselho Directivo, Escola Superior de Educação de Beja, Rua Pedro Soares, 7800 Beja, acompanhado de Curriculum Vitae detalhado (incluindo morada, telefone e e-mail), certificado com especificação de classificações obtidas nas diferentes disciplinas de licenciatura. A candidatura deverá ser acompanhada de 50.00 €uros em numerário ou cheque.
Informação: Serviços Académicos E.S.E. Beja.

segunda-feira, junho 05, 2006

Educação Física… até quando?

Continua a discussão, desta vez em torno dos conceitos de educação física e educação desportiva.
Não existirá uma tertúlia dedicada às questões do desporto e da educação física que não se tenha entretido, pelo menos uma vez, com a adequação ou falta dela da designação Educação Física.Esta semana recebi a revista Horizonte e vi o assunto retomado pelo colega José Brás da Universidade Lusófona num artigo que intitulou “O terrorismo linguístico na Educação Física” [in: Horizonte, Vol. XXI, nº 122, pp. 37-38]. A morte da Educação Física para ser colocada em seu lugar a educação desportiva é uma medida que se quer apresentar como inovadora mas é, segundo este autor, um claro retrocesso: “O conceito de educação desportiva é mais pobre e limitado do que o de Educação Física”.Num outro lado da contenda, Manuel Sérgio há muito que reclama o desajustamento desta designação e, muito recentemente, a Faculdade que me licenciou, a FCDEF [ex-ISEF], sofreu uma metamorfose estilística [e não só] deixando cair a Educação Física para se indexar unicamente ao Desporto.Esta questão não se esgota numa mera operação de semântica. Há fissuras que se abrem e que envolvem questões políticas de afirmação de um determinado projecto universitário [Bolonha acicata a competição da instituição universitária], de uma identidade profissional projectada numa determinada denominação, de uma ideia de desenvolvimento para uma área social tão relevante como é a área da actividade física e desportiva.O tempo é de ruptura, percebe-se. Para além da clarificação destas questões há que tentar perceber os efeitos deste vendaval discursivo na disciplina de Educação Física escolar.Educação Física… até quando? (por Miguel Pinto, in Educação Física e Desporto - Diferentes Olhares?)

domingo, junho 04, 2006

Feira de Actividades em Ciências para o Jardim de Infância

No dia 8 de Junho de 2006 realizar-se-á, na Escola Superior de Educação da Universidade do Algarve, uma Feira de Actividades para o Jardim de Infância, organizada pelas alunas do 3º Ano do Curso de Educação de Infância (Fotografia 1 e Fotografia 2). As actividades em ciências foram preparadas no âmbito da Disciplina de Actividades e Recursos em Ciências, da responsabilidade de Rute Monteiro e Ana Cristina Coelho, docentes dos Grupos Disciplinares de Ciências da Natureza e Física e Química, respectivamente. A Feira contará com a participação de quatro grupos de crianças com idades entre os 4 e 5 anos, oriundas de Infantários das cidades de Faro, Loulé e Olhão. As actividades decorrerão de manhã entre as 10h e as 12h e de tarde entre as 14h30m e as 16h30m. Estão previstos dois percursos diferentes (I e II) que funcionarão em simultâneo, nos períodos referidos anteriormente. (in ESE Algarve)

sábado, junho 03, 2006

Concurso Nacional

Conheça os eleitos de Maria de Lurdes Rodrigues para a nova temporada. Se por acaso não faz parte dos convocados não se exalte demasiado, nova convocatória está prevista para Agosto. Quem sabe não será um dos escolhidos para a "equipa de todos nós"? Se por acaso já fazia parte deste circo, este post não lhe dirá grande coisa.

sexta-feira, junho 02, 2006

Formação e Práticas de Gestão Curricular

Agora que o Verão está a chegar em força e cujo calor parece inflamar ainda mais a já de si combustível falta de tacto e de educação do Ministério, é tempo de compensar estes tempos de alarvidades com algumas leituras úteis. Comecemos, pois, por esta:



Nesta obra, Maria do Céu Roldão coordena uma vasta equipa de investigadores que se debruça sobre as questões do novo currículo (enquanto conjunto de saberes disciplinares indispensável para que os cidadãos se integrem na estrutura social existente e mutável). Os textos legislativos nacionais e mesmo internacionais apontam cada vez mais no sentido de responsabilizar centralmente as escolas pela adaptação da sua aplicação face ao contexto (os) específico (os) (geográfico, sócio/cultural etc.) de cada escola/agrupamento. Esta possibilidade de autonomização responsabiliza cada escola/agrupamento pela sua prestação. A auto-avaliação e a hetero-avaliação serão conceitos que não mais os agentes educativos poderão ignorar. Eles terão que prestar contas sobre a melhoria da sua escola/agrupamento a vários níveis. Para isso terão primeiro que identificar os principais problemas que O Currículo coloca ao processo ensino/aprendizagem, para, assim, poderem fazer a sua gestão em função da referida possibilidade de o adaptar a realidade de cada escola/agrupamento. (in Edições ASA)

quinta-feira, junho 01, 2006

32ª CONTRATAÇÃO CÍCLICA

Já estão disponíveis para consulta as listas da 32.ª Colocação Cíclica, bem como o respectivo recurso electrónico.